Um mês para 2 anos

Hoje meu anjinho está completando 23 meses, ou seja, falta exatamente 1 mês para o seu aniversário de 2 anos, estou imensamente feliz, cada dia uma nova descoberta, cada dia uma surpresa. Ele sempre me surpreendi, sempre muito carinhoso e muito genioso também. 

Está cada dia mais complicado educa-lo, isto é uma tarefa difícil, moldar a personalidade de uma criança, não é uma tarefa nada fácil, confesso que tem dias que me pego desesperada com as atitudes dele. Como sabem sou evangélica, e sempre vamos para o Culto, e está cada dia mais difícil conseguir que ele fique quieto sentado no meu colo, ele quer andar, correr, ficar na porta, e isso me deixa muito nervosa, pois queria muito que ele entendesse que lá não é lugar para isso. Daí eu e meu esposo revesamos para ficar com ele, para poder assistir o culto.

Mais fora isso ele é super carinhoso, comigo e com o Papai, sempre diz: Ti ama muito mamãe ( morro ). 

E os preparativos para o niver anda parado, como não vamos ter dinheiro para fazer a festa com convidados só vamos fazer um bolinho e vou ver se consigo decorar para não ficar em branco, e como ele escolheu ele quer do Pocoyo, vou ver se consigo fazer alguma coisa bem legal, se tiverem alguma sugestão vou adorar.



1ª foto com 23 meses, com a boca lambuzada de bolo, depois de ter lambido o pote da batedeira (amo) <3 b="b" nbsp="nbsp">



Acompanhamento de 1 ano e 11 meses do site Baby Center.

Desenvolvimento físico: brincando de se vestir


À medida que se aproxima dos 2 anos, seu filho começa a demonstrar interesse em pôr e tirar as próprias roupas. Camisetas folgadas, casacos, jaquetas e pijamas de zíper são os itens mais fáceis para praticar. Muitas crianças gostam de brincar com as roupas também, então facilite a sua vida e já separe peças como chapéus ou lenços velhos para deixar à disposição. 

Outra novidade é que agora ele já consegue abaixar para pegar alguma coisa sem ter que agachar. Ele vai tentar ficar de pé na ponta dos pés e pular tirando os dois pés do chão. Prepare também o coração para as inúmeras subidas e descidas de escadas sem que seu filho queira ajuda nenhuma (mais uma maneira de provar o gostinho da independência). 


Cérebro afiado


Com 1 ano e 11 meses, muitas crianças têm maturidade cerebral e coordenação motora para montar um quebra-cabeça de três a seis pecinhas (daqueles bem básicos de madeira para encaixar animais ou formas, por exemplo). Algumas já esboçam desenhos de círculos (sem muita definição da forma, claro) e linhas verticais e horizontais. 

Incentive o desenvolvimento dessas habilidades tendo à mão giz de cera e tinta (use sempre materiais apropriados para crianças e com selo de qualidade do Inmetro) para fazer arte. Participe das brincadeiras escrevendo e desenhando também, assim seu filho assistirá e terá vontade de copiá-la. 

Outras atividades que exercitam a comunicação do cérebro com as mãos incluem encher e esvaziar vasilhas de água, medir e colocar a comida do cachorrinho no prato dele ou amassar massinha (vale também massa de pão de verdade) para fazer bolas ou minhocas. É bem provável que a criança se molhe ou se suje, mas os ganhos compensam. 


Desenvolvimento emotivo e social: imitando crianças maiores


A partir de agora, seu filho demonstrará mais interesse em brincar com outras crianças e imitá-las. Se tiver irmãos mais velhos, não se surpreenda de vê-lo seguindo o irmão ou irmã o dia inteiro. Ele vai tentar fazer a cesta no basquete ou ninar a boneca do mesmo jeito, e poderá tentar conquistar o amor do irmão oferecendo sua própria bolacha ou algum outro "bem" de grande valor. 

Caso esteja grávida de novo, os especialistas recomendam contar à criança sobre o bebê com, no máximo, três ou quatro meses de antecedência. Nessa altura, sua barriga já terá crescido e o nascimento não estará tão longe assim para uma criança que ainda não entende direito o conceito de futuro. 


Elogio na medida certa


Ele já começou a se referir a si próprio pelo nome ou pelo pronome "eu"? Essa é uma indicação importante de que seu filho passou a entender que é uma pessoa diferente e separada de você. 

Aproveite todas as oportunidades para elogiar algo que ele tenha feito sozinho, o que só vai incentivar a autoconfiança. 

Tente evitar comentários genéricos do tipo "Que menino sabido!" e fale especificamente sobre o feito do momento: "Adorei o jeito que você empilhou os bloquinhos para fazer essa torre tão grande". 


Comportamento: apego e medos


Se aquela criança destemida e independente de repente não quer largar de você nem por um minuto, não se preocupe. Nesta idade, esse tipo de comportamento pode simplesmente indicar uma imaginação fértil. Às vezes é o aspirador que vira um engolidor de crianças ou é o monstro que se esconde debaixo da cama (especialmente depois da transição do conforto e segurança do berço para uma caminha maior). 

Esses medos podem parecer irracionais para você, mas, para uma criança que está começando a notar o mundo, são extremamente reais. Procure não menosprezar os temores do seu filho (faça, por exemplo, uma busca pelo tal do monstro embaixo da cama) e sempre converse sobre o que o aborrece tanto. 

Lembre-se ainda de que a imaginação pode ser grande, mas o vocabulário de uma criança ainda não é, então às vezes caberá a você decifrar a fonte do medo. 

Não esqueça também aquela velha lição seguida com bebês menores: quando for sair, diga aonde vai, explique quem cuidará dele e dê um tchau rápido, sem estender e fazer drama. Se possível, antes de sair, envolva-o em uma atividade com a pessoa que ficará cuidando dele. 


Desenvolvimento da linguagem: montando frases


Crianças de quase 2 anos costumam obedecer ordens simples como "Venha aqui para eu botar o seu tênis" ou "Pega o copinho para a mamãe". Elas falam cerca de duas dúzias de palavras de forma mais clara e muitas outras ainda não tão fáceis de entender -- e por isso nem soam como palavras de verdade. Mas logo logo o vocabulário vai crescer tanto que você nem vai mais conseguir lembrar de todas as gracinhas que ele diz. 

Seu filho pode dizer frases curtas como "Cabô mamá" ou "Qué papá" e responder a perguntas como "Qual é o seu nome?" e "Como é que o cachorrinho faz?". Você já não terá mais que adivinhar tanto o motivo dos choros, porque ele aprendeu a utilizar as palavras (mesmo as que inventou ou "adaptou") para expressar sentimentos e sensações. 

Outro conceito que começa a ser entendido é o de opostos, como pequeno e grande ou pouco e muito. Aproveite para mostrar figuras e ilustrações em livros, porque a leitura é uma das melhores formas de aprimorar a linguagem. Procure histórias em que haja vários objetos, tanto familiares como outros mais novos. Ao ler, faça uma pausa de vez em quando e pergunte algumas coisas sobre o livro ("O que o gatinho está fazendo? "Cadê o menino?"). 


Não esqueça que está rolando um sorteio aqui no Blog vejam AQUI.





8 comentários:

  1. 'Bora començar a contagem.... Bjus Andrea e Lara coisas-da-lara.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que lindinho, o tempo passa tão rápido né?
    visita a minha loja virtual
    http://minhavaidadefeminina.loja2.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Qee lindoo *-*
    ou seja cada dia mais esperto !

    ResponderExcluir
  4. Parabéns parabéns parabéns! E que venham muito mais meses agitados porque isto é sinal de criança feliz e saudável! Que bom que ele tem uma mamãe como você. Beijo

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    tudo bem?
    Vim conhecer teu cantinho e adorei, já estou seguindo!!!
    Passa lá no meu qndo quisere será muito bem vinda
    http://estou-crescendo.blogspot.com.br/
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Agora é contagem regressiva!!
    Rumo aos 2 anos, e lindo como sempre

    beijos
    Lilia

    ResponderExcluir
  7. Lindooooooooooooooo!!!
    Que coisa mais gostosa suja de bolo rs.
    Que venham os 2 anos!!
    Beijos Ca

    ResponderExcluir
  8. Educar tá longe de ser tarefa fácil!

    Ele tá lindo! Contagem regressiva!

    Beijo!

    ResponderExcluir

Agradeço pela visita, e se puder deixe seu comentário, vamos adorar!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...